sábado, 7 de março de 2009

"Um barco?? É... eu vi um barco!!" (a história de duas irmãs doentes da cabeça)

Que eu tenho memória seletiva, todos sabem. E que sofro de perda de memória recente, tal qual a Dori do Nemo, também. Mas o que aconteceu ontem foi de um fora-de-delismo tão absurdo que merece explanação.

Minha irmã precisou dormir na minha casa pra poder ir na faculdade logo cedo pesquisar coisas da monografia. E pra facilitar a vida das pessoas, fiz uma chave da casa pra ela. Mas o chaveiro não tinha a base da chave comum (e chaveiro aqui é coisa difícil de encontrar), então fiz só a chave tetra. E deixei com ela.
Dae que ontem de manhã, acordei e ela ficou dormindo. Tirei a chave tetra dela da porta e pensei "Se a chave ficar na porta, não consigo trancar por fora. Vou deixar sobre o computador porque sei que ela vai ver." Saí e passei a chave tetra. Acontece que na fração de segundos que levei pra fazer isso, esqueci completamente que ela estava na minha casa. Sim, pessoas, eu passei a chave normal também. Tranquei a Be em casa. Nem me dei conta disso. E fui trabalhar feliz.
Lá pelas nove da manhã o celular toca e é uma irmã gritando "LOUCAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA". Nem me deu bom dia e já grita comigo? Pô....
"Sua maluca, tem chave extra na sua casa? Porque você me trancou aqui. E agora????"

Pensei rápido, lembrei da besteira que fiz e busquei uma solução - que não existia. Eu sairia do trabalho só as 17h, levaria ainda usn 30 minutos até chegar em casa e ela precisava ir de manhã na faculdade. Resolvi que ia arriscar pedir pra sair na hora do almoço (é.. não tenho autonomia pra sair da senzala nem pra ir na esquina comprar picolé) e expliquei o que tinha acontecido. Levaria meia hora pra ir, meia hora pra voltar, teria que pegar ônibus pra ser mais rápido, de repente um taxi, eu teria que passar no banco antes se tivesse que pegar taxi porque esqueci o dinheiro em casa... Tá, dá tempo de ir e vir em uma hora. Mas a secretária tava de bom humor (a Didi não estava na escola) e me disse pra ir naquela hora mesmo. Eu só precisava falar com a outra professora que ficaria sozinha com a turma por uma hora.
Foi quando o telefone tocou de novo:

- Irmã, se preocupa não. Me baixou uma entidade trombadinha e arrombei a porta com grampo.
- QUE?????????????????????????????????????? Tu fez o que??????
- Destranquei a porta com grampo de cabelo.
- Ah, tá.. Achei que você tinha arrombado a porta da minha casa com grampo de cabelo...... Aff. Desde quanto tu sabe fazer isso????

Pois é.... eu sou uma lesada esquecida, e a Be é uma ninja-trombadinha-maluca. A sujeita procurou no google "como abrir porta sem chave" e tentou. Por sorte eu tinha grampos de cabelo em casa (sorte MESMO, pq desfiz o penteado do casamento de sábado aqui, e não na casa de mamãe) e ela conseguiu sair de casa.
Óbvio que, depois disso, fiz a chave comum pra ela.

E nunca mais esquecerei de trancar a tetra!!

6 pitacos:

fátima disse...

nossa, é tão fácil assim? agora fiquei preocupada... (se bem que eu moro em apartamento, e prá entrar tem que passar pela gestapo da portaria, então acho que tudo bem)

bj

Ruiva disse...

É mais fácil do que se pensa. Claro que eu teria dificuldades, porque minhas habilidades manuais são as piores possíveis. Mas ela, que faz origames e costura, abriu em questão de minutos. E depois ainda me mostrou como fazer. Fiquei chocada!
E quanto a morar em apartamento.... Uma amiga teve o apartamento arrombado no carnaval. Então, a partir de agora, chave tetra!!

Jullyane disse...

Kkkkkkkkkkk! Medo profundo do google agora! Eles ensinam até a abrir porta sem chave? Ohhhh!

Beijosss

MEL disse...

Nossa! Roleeeei de rir da sua irmã! Muito boa história!
Beijos,
MEL

Ozenilda Amorim disse...

Kakaka!! muito boa, melhor do que a minha de perder a chave, ter que pular o muro e ser pega pela segurança do condomínio, vai explicar uma coisa dessas!!!

Jú ツ disse...

E eu vivo perdendo a chave de casa. Agora vou no google p ver como esse mecanismo funciona, vai que eu preciso um dia!!! kkkkk
P.S.: Depois q passa a gente ri né? Mas bem q vc ficou preocupada!

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block