terça-feira, 10 de março de 2009

Eu e minha boca grande

Então o cara me diz que é do tipo que namora, que gosta de estar junto e tudo. Eu, ao invés de ficar quieta - que é a melhor opção quando não se tem nada de bom pra dizer - faço propaganda da minha falta de coração e digo que raramente me apego.

O pior de tudo é que não é exatamente a verdade...
Uhm.. é verdade que não sou de pagar paixão absurda com frequência (ai, que saudade do trema), mas não é que eu seja sem coração.. Sou só prática e racional. E ae, as mulheres apaixonadas que amam demais me acham um ser de outro planeta.
Talvez eu seja, talvez não..
O fato é que não sou sempre desapegada. Porque quando a pessoa vale a pena, eu me apego sim.
Mas nunca posso prever quando vai acontecer (mentira, posso às vezes, mas isso é outro papo). Então a gente tem é que deixar acontecer.

Mas agora estou com raiva de mim por ter dito isso pra ele. Logo pra ele, que é tão fofo e me deixou doida de vontade de vê-lo de novo..

Ai, ai... Eu e minha boca grande!!

3 pitacos:

Elaine disse...

Olá!
Faz tempo que não comento por aqui mas leio sempre que você posta, tá?
E vai saber, de repente o carinha não levou a mal e quem sabe, né? De qualquer maneira, se ele não aparecer de novo, liga prá ele, uai.
Beijos e fica com Deus.

MEL disse...

Ah não, não se martirize, por favor.
Pelo menos você foi sincera e disse qual é que era de cara. Agora deixe que o destino fale por ele mesmo.
Beijos!

Madame Mim disse...

Sou campeã em falar a coisa errada, na hora errada, pra pessoa errada. E depois ficar remoendo...:P
beijos

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block