domingo, 23 de março de 2008

Ruiva e Infinita

- Amiga, vi teu blog. Me amarrei. Agora, cá pra nós, precisava de um título tão narcisista?

Minha amiga não entendeu bem o infinito do blog. Não é narcisismo, nem soberba..
Como a dúvida de um pode ser a dúvida de vários, vamos explicar.

Ruiva de verdade eu não sou. Infelizmente. Mas acho que há quase dez anos que mantenho meu cabelo vermelho. E ser ruiva é mais que simplesmente ter o cabelo vermelho. Ruiva é um estado de espírito, uma atitude, um conceito. Modéstia a parte, posso me considerar uma Ruiva. Então a cor do blog já está explicada.

Infinita...
Fui apresentada a esse conceito de uma forma bem peculiar. Foi no dia que conheci o que viria a ser um dos meus músicos preferidos. Na hora que eu estava saindo, ele virou pra mim e disse: Ruiva, você é infinita. Sem entender bem o que ele quis dizer, repliquei com um Espero que isso tenha um bom significado. Ao que ele respondeu "O melhor!"
E ainda hoje, quando a gente se encontra, ele me fala Ruiva, você é infinita. Como ele é uma pessoa que sabe do que fala, resolvi assumir minha infinitude.

Então eu sou ruiva e sou infinita.
E tenho dito.


Qualquer hora eu explico o sentido do conceito.

4 pitacos:

Surfista disse...

Bela explicação. Também já passei por questionamentos sobre meu título. A maioria acha que é por causa de alguma tintura platinada na minha cabeleira. Tolinhos...

RD disse...

Identidade...
Agora eu entendi também o porque do título, rs, compreendo.

Sem crise...

Abraços e Beijos Ruiva..

Srta. Engolidora de Anfíbios disse...

Você é infinita pro seu amigo, e ele deve ter um sentimento tão grande por vc, que o define como infinito, refletindo em vc. Bela explicação, sua infinitude não tem nada de narcisista, e seu amigo realmente sabe o que diz, afinal ele que sabe dos sentimentos dele! O título do blog é show, e apesar de ser morena, concordo que estar ruiva eh um estado de espírito, é + que uma cor de cabelo; eh uma personalidade externalizada! :)
Abç!

Patrícia disse...

Já fui loira quando meu estado de espírito era loiro. Já usei mechas quando tudo em mim era uma mistura de tudo. Depois de um tempo me fiz ruiva. Depois de mais um tempo me fiz ruiva com os cabelos curtíssimos e repicados. Pronto! Encontrei a aparência física para acasalar com a Patrícia que o tempo havia esculpido.
Tenha a cor que for, o importante é que tenhamos a dimensão da liberdade para ser tudo o que fizer de nós pessoas plenas!

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block