domingo, 20 de novembro de 2011

Me faltam palavras

Eu venho aqui, fico horas olhando pra tela em branco e.... nada.
Volto outro dia e o drama se repete. E nisso se passaram mais de 30 dias sem eu dar as caras.

Poderia por a culpa no excesso de textos da faculdade, nos vários cursos ou no tempo gasto para ir e vir do trabalho. Mas não é nada disso. A verdade é que estou numa fase estranha da minha vida onde quero guardar meus pensamentos só pra mim, porque eles não andam nada bonitos. E não acho que meus leitores - uma meia dúzia de bons amigos que ainda passam por aqui - mereçam pensamentos feios.

Este ano foi apenas passável. Aconteceu tanta coisa estranha, algumas até trágicas.. Mudei de escola duas vezes em seis meses; perdi minha avó e meu tio em menos de 6 meses; quando eu achei que estava indo bem, a depressão voltou - e, dessa vez, por causa do trabalho; a Didi (a diretora maluca que infernizava minha vida) morreu...
Pouco consegui ir ao cinema, a igreja e ao teatro. Acho que foi o ano em que menos fiz coisas por mim. Na verdade, não vejo a hora de chegar 21 de dezembro e eu entrar de férias. Sair da rotina, respirar outros ares. Porque me escondi horrores esse ano. Pessoal e virtualmente. Acho que esqueci de viver em 2011. É.. foi isso, eu esqueci de viver. Passei 11 meses no automático e concluí que isso é horrível.

Mas antes que alguém se preocupe, tá tudo bem comigo. Assim, apesar de eu ter me deixado dominar pelos afazeres, tá tudo bem. As coisas que importam (minha saúde e minha família) estão indo bem. Eu acho.

2 pitacos:

N disse...

Olá!

Bom ver vc aparecendo, mas num momento dificil. Entendo bem de se esconder....e de esquecer de viver....a gente tenta, mas as recaídas são implacáveis. eu te desejo dias mais calmos e mais leves. E mais sorrisos. Muito sorrisos.

Bj e excelente semana.

Nayara.

Bia Bomfim disse...

Ruiva, acho que todo mundo passa por algum momento como esse ao longo da vida. Às vezes, precisamos mesmo guardar pra nós o que sentimos, até pra nos respeitar. Guarde-se por qto tempo for necessário e enquanto te fizer mais bem do que mal. Sei que nosso relacionamento, hoje, se resume à internet, mas qq coisa, é só chamar!

Agora, Didi morreu?? Choquei...

Beijos, querida.

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block