quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Saída covardona pela direita

Era meu aniversário e eu tinha combinado no trabalho que sairia cedo pra comemorar com minha família. Semanas antes, a empresa me pediu uma bateria de exames, que tentei marcar fora do horário de expediente. Mas sabe como é médico.. Só tem vaga nos horários mais absurdos e eu tinha urgência nos tais exames.
Daí que na véspera da comemoração, meu chefe - a pessoa mais espírito de porco que a cidade já conheceu - resolveu encrespar e dizer que eu não ia sair coisa nenhuma porque estava faltando e chegando tarde e saindo cedo por causa dos exames e que ponto final. Não adiantou tentar explicar que eu não estava fazendo aquilo por hobby, que foi a empresa quem pediu os exames e não havia outra opção há não ser fazer.
¬¬
Desnecessário dizer que tive vontade de transformar o espírito de porco em bacon. E que minha mente fervilhante começou a bolar um plano mirabolante pra meter o pé do trabalho no dia seguinte. Eu não contava era com o apoio do segundo gerente - que é o policial bonzinho. No dia do aniversário, o chefe precisou ir para uma reunião. O vice me chamou na sala dele pra dizer que eu fosse muito discreta durante o dia, que era pros outros funcionários não me notarem muito naquele dia e que quando eu fosse almoçar, não precisava voltar. "Só tenha cuidado por quais lugares você vai andar. Não vai querer dar de cara com teu chefe, né? Vai complicar a você e a mim".
E lá fui eu, linda-loira-e-japonesa celebrar. Comi, bebi, ri, ganhei presentes, comi sobremesa.. tudo é festa. Até chegar a hora de ir embora. Estou eu feliz e contente esperando o ônibus pra casa quando vejo quem virando a esquina???????
Sim!! Meu chefe querido (sarcasmo mode on). E eu nem estava perto do trabalho!! RAIOS! Então, tal qual o Leão da Montanha, eu fugi.Mais que depressa entrei no bar que tinha em frente e me escondi no banheiro feminino. Minha irmã que ficou me procurando igual maluca, porque num minuto eu estava conversando com ela e no seguinte tinha sumido. Quando ela percebeu o que estava acontecendo, tratou de sumir também, pra não correr o risco dele reconhecê-la. E irmã ficou espionando pra ver quando a criatura iria embora, pra eu desocupar o banheiro do bar, neh. E não é que o sujeito pegou justamente o ônibus que eu estava esperando? Affão!! Como o bus é quase um cometa Halley, não quis esperar muito mais. Teria que correr o risco. Esperei que todas as pessoas subissem e dae subi, com a pasta quase cobrindo o rosto, e me sentei lá no fundinho, toda encolhida, e controlando o riso desesperadamente.

Se ele descobriu minha escapada? Não. Tapado do jeito que era, não deve nem ter desconfiado.
Vice-presidente ganhou um generoso pedaço de bolo na semana seguinte.
E eu, além de ter me divertido no dia do meu aniversário, ainda tive história pra contar.

5 pitacos:

Patrícia disse...

Transformar o espírito de porco em bacon foi a ideia mais genial que já vi alguém aplicar numa situação dessas! Ri muito!!!!!
bjks

Sara Dyenne disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Adorei!!!

Dá quase um roteiro de filme isso....

Priscila disse...

kkkkkkkk, mas que azar o seu, logo o chefe!!!!!
Mas é isso aí, são histórias da vida!!!
E agradeça a Deus pelo o policial bonzinho!!!

Muito Bom.

Um Abraço

Júuh . disse...

Eu não pegaria o mesmo onibus que ele de jeeeito nenhum! kkkkkkkkkkk
Muito ilária sua história, coisas dessa nossa vida maluca! hauahuah

Beijo Ruiva!

Luciana Matos disse...

Fiquei imaginando esta cena de vocês se escondendo do homem aqui!
Só figura!
rsrsrsrs
beijo!

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block