sábado, 24 de julho de 2010

Bruno X Elisa

Recebi isso por email e resolvi compartilhar com vocês. 
Tenho cá minha opinião sobre o assunto, o autor do texto (que não assinou) tem a dele e quero saber a de vocês..

Bjs,
Ruiva.
 
"Vendendo a capa - Arnaldo Jabor - Nos últimos dias temos acompanhado o "trabalho" da imprensa na condução do chamado Caso Bruno. Sofrendo com a falta de notícias após a eliminação do Brasil na Copa do Mundo e da crucificação midiática que sofreram Dunga e Felipe Mello, a imprensa resolveu construir um novo vilão para vender suas capas: Bruno.
 
Bruno, ainda bebê, foi abandonado por sua mãe biológica. Cresceu criado por uma mãe adotiva, em condições precárias em uma favela qualquer, vítima da sociedade brasileira. Milhões de outras pessoas na mesma situação, desde muito jovens se enveredaram pelo mundo do "mais fácil": tráfico de drogas, assaltos, assassinatos, dentre outros. Bruno não. Bruno, ao contrário do que lhe reservara o destido, seguiu o caminho do esporte. Foi guerreiro. Sim, um guerreiro, pois nós sabemos que ninguém chega aonde Bruno chegou sem ter, além de talento, esforço, disciplina e treinamento forte. Bruno se negou a trilhar o caminho do mais fácil. Não quis traficar drogas, nem roubar. Preferiu tentar talvez a única oportunidade que a vida oferece a quem tem as raízes que ele tem: na falta de oportunidades de estudo e trabalho, o esporte. Bruno passou por grandes clubes do país, e ninguém chega a esse ponto sem trabalho e seriedade.
 
E Eliza Samudio?
 
Filha de pais de classe média, não teve uma vida de luxo, mas sempre viveu longe da miséria à qual Bruno sempre esteve acostumado. A vida sempre lhe abriu portas, estudou em colégios particulares e teve a oportunidade de cursar uma faculdade e levar uma vida normal para uma garota de sua idade e condição social. Mas isso era pouco para a ambiciosa Eliza. O sonho de Eliza sempre foi a fama, o estrelato, os holofotes. Figurinha carimbada nas clássicas "festinhas" organizadas por jogadores, Eliza Samudio é muito conhecida no mundo dos boleiros. Participou de orgias com vários jogadores de times de São Paulo e Rio de Janeiro, sempre em busca de um "namoradinho" que lhe rendesse alguma mídia. Bruno foi o azarado cuja camisinha estourou. O que aconteceu na verdade, se ela está ou não morta, e quem a matou, talvez nós nunca iremos descobrir. Fato é que a vida que Eliza escolheu levar cedo ou tarde a levaria a morrer. Eliza preferiu o caminho do mais fácil. Além de orgias com jogadores - onde cobrava cachê para participar - é conhecida no mundo dos filmes pornográficos como Fernanda Faria ou Victoria Sanders. Com a recente onda de notícias, já existe uma profusão de vídeos seus ganhando a internet. Eliza sempre teve aversão à vida comum, nunca se dispôs a estudar e trabalhar, e hoje é vendida da mídia como estudante e modelo. Ela é o cordeiro, e Bruno é o lobo mau. Preocupados em vender notícia, os grandes veículos de comunicação se acostumaram a criar a batalha do bem contra o mal, do mocinho contra o vilão, e o que nós vemos não é assim.. Deveria existir uma preocupação em aproveitar esse caso para educar e ensinar a sociedade. Deveriam demonstrar quais eram os métodos de Eliza, que sempre tentou laçar algum desavisado para ganhar os holofotes. Deveriam focar no fato de que ela fazia programas, filmes pornográficos que vendia seu corpo e vivia em um mundo perigosíssimo, com atitudes igualmente perigosas. Bruno foi o boi de piranha, a ponta fraca da corda. Eliza, caso realmente tenha morrido - e não seja apenas um golpe dela, que, escondida, aguarda a hora certa de aparecer para cobrar milhares de reais em entrevistas exclusivas e quintuplicar seu cachê em produções pornográficas -, não teria apenas tido o que sempre procurou? Fama e holofotes!? Bruno lutou contra o destino por um futuro melhor. Saiu da trilha do crime em busca de uma vida correta, mas talvez o meio em que ele cresceu o tenha levado a fazer o pior. Eliza trilhou o caminho exatamente inverso. É uma pena que tenhamos que presenciar os métodos sujos de vender jornal da imprensa brasileira."

4 pitacos:

euemmim disse...

É tudo tão complicado...e tão simples ao mesmo tempo...mas será que quem precisa entender este texto vai parar pra ler?



bjo!


Zil

Luciana Matos disse...

Bem, então se eu entendi a lógica dele(a), se vc for um cara que lutou muito pra chegar "onde chegou" pode matar, mandar matar, tudo bem. Não merece ser punido, ou virar vilão.
Se vc for uma piriguete, maria chuteira (e etc) pode morrer esquartejada que tudo bem. Mereceu.

Huummm, concordo não.

Lu

menina fê disse...

ahhh, tadinho do jogador. deixa eu ver se entendi: quer dizer que porque o cara lutou, trabalhou e etc, ele pode fazer o que quiser? e pq a menina era uma piranha oportunista tem que morrer?

ah, tá?! agora eu entendi. quanta contradição, né?!

os louros a quem trabalha e consome puta e às putas as piores atrocidades. ahããããã.

já que ele é tão digno, tão homem, por que será que ele não encarou o problema de frente e resolveu judicialmente? desculpem, mas o nome disso é ignorância!

e sem medo de afirmar: igual a do autor do texto. machismo e desumanidade pura.

bjs, menina fê*

Nanda Albuquerque disse...

Concordo que é simples e ao mesmo tempo complicado... que o Bruno se esforçou e chegou onde chegou por mérito próprio (apesar de discordar que somente talento seja algo tão amplamente valorizado, enquanto que a educação fica às moscas)... que a Eliza era tudo aquilo descrito no texto, que procurou o caminho mais fácil, que se envolveu com pessoas de todos os níveis e personalidades, desavisada, sem pensar nas consequências...
MAS, É ABSURDO PENSAR QUE SOMENTE ISSO DARIA DIREITO AO GOLEIRO DE FAZER O QUE BEM ENTENDESSE, POIS APESAR DAS DÚVIDAS, MUITAS EVIDÊNCIAS APONTAM PARA A EXISTÊNCIA DO CRIME... INFELIZMENTE PARA ELA, SUA INCONSEQUÊNCIA A LEVOU DIRETO PARA OS BRAÇOS DAQUELE QUE A DESTRUIU... FEZ, ENTÃO TEM QUE PAGAR, NÃO IMPORTAM AS RAZÕES... O QUE ELA ERA, COMO SE COMPORTAVA, PODE NÃO SER ACEITO NA SOCIEDADE (MAS INFELIZMENTE A MÍDIA LEVA A ISSO: FAMA, DINHEIRO FÁCIL), MAS NÃO DÁ DIREITO A UM CIDADÃO DE FAZER O QUE LHE CONVIER SOMENTE PARA SE LIVRAR DE UM 'PROBLEMA'. E TAMBÉM TEM QUE SER DITO, QUE ELE, CASADO, FREQUENTAVA TAIS FESTAS E ORGIAS... ONDE ESTÁ O CARÁTER DELE, NINGUÉM QUESTIONA?
UFA, VAI SER CANSATIVO LER ISSO, HAHAHA

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block