sexta-feira, 25 de junho de 2010

Peter Perfeito

Esses dias minha mana fez uma entrevista de emprego. Dentre tantas perguntas comuns ao processo, uma era qual o defeito do indivíduo. Bê fica louca quando as pessoas respondem que são perfeccionistas e não são (a louca é de verdade, e isso, se não chega a ser um defeito de fato, sem dúvida é um problemão). Um dos meninos disse que tem preguiça de fazer as coisas. Achei digno ele se assumir, mas foi tremenda burrice dizer isso numa entrevista. Ela não chegou a responder essa; o entrevistador mudou a pergunta antes de chegar a ela.
Quando chegou em casa, ela me perguntou qual defeito poderia revelar numa situação dessas. Porque a gente tem uns defeitinhos escabrosos e nunca é bom revelar, né mesmo? Aliás, a gente não. Vocês. Eu poderia facilmente ser o alter ego daquele personagem da Hanna Barbera, o Peter Perfeito (ah, vai.. se você tem mais de 25 anos, sabe de quem eu estou falando). E meus amigos também. Afinal, amigo nosso não tem defeito. Mas os inimigos.... se não tiverem, eu invento. Rsrsrs



Brincadeiras a parte, a Elise escreveu sobre isso no blog dela esses dias e, somado ao papo com a mana sobre o assunto, me inspirou a assumir meu lado negro na força.

Bom, pra início de conversa, eu sou cruel quando estou irritada com alguém. Do tipo que vai direto na ferida, com algodão cheio de álcool. Sem piedade.
E também sou manipuladora. Não chego a ser daquelas pessoas escrotas, que não medem esforços e que usam as pessoas, mas vou manipulando situações e sentimentos alheios até conseguir o que eu quero. Pode até levar uns dias, algumas semanas, mas consigo.
Sou mega intolerante com pessoas "estudadas" e que, mesmo assim, são burras, não pensam fora do quadrado ou são incapazes de compreender coisas simples e argumentações claras. Desdenho logo e uso do meu sarcasmo master pra dar aquela tripudiada.
Não tenho controle do meu dinheiro. E acho que metade das mulheres sofre do mesmo mal. De repente a conta tá quase seca e eu fico de péssimo humor por isso.
Sou vingativa pra caramba. Não que eu fique maquinando uma maneira, mas às vezes a oportunidade cai no meu colo. Nesse caso, faço bom uso e me vingo feliz.
Ah, e claro, me acho o máximo. Não sempre e não em tudo. Mas é que quando me proponho a fazer algo, faço tão bem feito que chego a pensar que dificilmente alguém fará melhor que eu (e normalmente estou certa). rsrs

Sei que esse post é um prato cheio para algumas pessoas que estão loucas pra atirarem pedras. Mas, quer saber, tô nem ae.

3 pitacos:

Olavo disse...

Sinceridade a toda prova..gostei..
e deixe que atire pedra quem quiser..
Bom final de semana
Bjs

Luciana Matos disse...

Ihhhhh, eu também mó me acho cheia de defeitos, malzona, vingativona e tals, mas no fim das contas sou uma manteiga derretida!
A gente tem mania de exagerar um pouquinho nas qualidades e nos defeitos também. (Exceto quando se está numa entrevista de emprego, é claro)
beijo,
Linda

Ah, com as pedras, faça como no poema, construa castelos! rs!

Hod disse...

Amiga, esse Peter é o Ideal num mundo onde se pode imaginar o Ideal..

Forte abraço.

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block