sexta-feira, 19 de março de 2010

Totalidade

Não sei ser metade. Não consigo ser "mais ou menos". Meio termo é uma abstração enorme pra mim.
Quando sou amiga, sou amiga por inteiro. Abro minha casa pra abrigar os expatriados; pago a viagem, o jantar ou o café; vou pro tribunal junto; divido apartamento pra facilitar a vida; atendo o telefone no meio da madrugada pra consolar. Sou inteira amiga. Compro o barulho, ofereço a mão, o ombro e a roupa de madrinha. Qual o problema?

Quando gosto de alguém, gosto por inteiro. Gosto do mau humor matinal, das poucas e profundas palavras, dos pequeninos gestos de carinho, das risadas, do tempo compartilhado. Gosto por inteiro, inclusive dos defeitos.

Quando sou namorada, sou namorada por inteiro. Me preocupo; compro presente; ouço as reclamações da sogra; brinco com os sobrinhos; divido a conta; faço cafuné; aturo má fase no trabalho e tensão pré-monografia. Inteirinha namorada. Com direito a ciúme, bico e bilhetinho carinhoso sem motivo.

Quando sou profissional, sou por inteiro! Mergulho de cabeça no projeto proposto. Me empenho, estudo, traço plano de ação, faço e aconteço. Dou sangue, suor e cerveja (ou, no meu caso, suco de uva).

Sou como o Moska, eu me ofereço inteira e você se satisfaz com metade!! NÃO! Por favor, sem metades. Acho que por isso nunca gostei daquele papo de "metade da laranja". Sou uma laranja inteira, oras. Me incomoda profundamente quando não estou inteira em alguma coisa. Do mesmo modo, quando preciso interagir com alguém que é pela metade, fico a beira do surto.

Por isso, digo aqui em alto e bom som que cansei!
Cansei dos amigos pela metade, que não atendem sua ligação nunca e também não encontram meio segundo pra responder um scrap.
Cansei dos amores pela metade, que não compartilham o tempo, as frustrações e os sonhos.
Cansei do trabalho onde só posso ser metade de quem sou de verdade, porque a minha totalidade é demais pra lá.
Agora só quero o que for inteiro. Porque nenhuma metade me satisfaz. Nem mesmo a metade do pão.

5 pitacos:

Robs... disse...

"Sou uma laranja inteira, oras."]

Essa frase fala tudo!!

Intensa, verdadeira...um tapa com leve brisa de Ruiva...
Belo texto, sensibilidade a flor da pele!

Bjs

* Júuh. disse...

Simplesmente ameeeeeeeeei esse post Ruiva, não teria palavras melhores. O que me mata é por eu também ser assim, e sou INTEIRA até demais e com gente que não merece! Mas fazer o que né? Vivendo e aprendendo...

Beijos Flor =**

Bracho disse...

Ver que alguem tão sensivel pensa como a gente é reconfortante!

Bj..excelente semana!

* vc é a ruiva do Foto nossa de cada dia!!! Adoro aquele blog!Acompanhava mas não sabia que era vc!

Mariana Martins disse...

Eu adoro absolutamente tudo que você escrever.

Beijos!

AC disse...

Vim até aqui através do Recomeçar, da Zil.
Tal como lá escrevi, por inteiro, sempre!

Bj

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block