sábado, 29 de janeiro de 2011

Considerações sobre Montevidéu


Então que estou de volta ao Rio (e derretendo com esse calor) e já sinto saudade do Uruguai.
Sim, porque lá venta o tempo TODO. Venta tanto que as antenas de celular (aquelas grandonas, tá!? por favor não pense que é a do aparelho) cantam com o vento. E te assustam a noite, até que você descubra que a cidade não é assombrada.

E o Sol?? Não vai embora nunca. E a Lua só vai embora de tarde, quando já está quase na hora de voltar. Acho que o Feitiço de Áquila não acontece no Uruguai, porque os astros se encontram pra namorar..

Preciso lembrar de estar muito magra da próxima vez que visitar a cidade. Como se come naquele lugar. Acho que não teve uma única refeição que eu tenha comido toda. Em outras palavras: joguei dinheiro fora com comida e ainda assim voltei gorda. Não é de Deus. Não que a comida seja ruim - porque é exatamente o contrário, é boa pacacetas -, mas é que vem sempre em quantidade pra alimentar cinco soldados da guerra.

Uruguaios são bonitos. Mas os cabelos deles.... Céus. Esquadrão da moda djá! Fiquei pensando se as tesouras não estão todas cegas e por isso os cabelos ficam cheios de ponta. Pena que não pensei em fotografar, pra ter prova agora, mas não tô falando daquelas pontas maneiras. Parecia MESMO que o corte ficou inacabado. Tipo, tô no salão e o celular toca com alguém dizendo que meu cachorro tá morrendo e eu simplesmente saio correndo, com avental preso no pescoço e tudo. Cortado tipo assim. Juro.

A cidade deles é imunda, cheia de caca de cachorro. Um nojo! E olha que o Rio nem é essa limpeza toda, mas lá era demais pro meu gosto. A companhia de limpeza urbana deles não passa com o caminhão recolhendo o lixo das casas, nem tem gente todo o tempo varrendo a cidade. O que tem são lixeirões gigantes em algumas ruas, onde as pessoas jogam o lixo residencia. Pense no odor que sai dali.. Nesse caso eu acho até que entendo as pessoas jogarem lixo no chão. Não é nada agradável sentir aquele bafo de carne estragada só pra se livrar de um papel de bala. Talvez fosse mais fácil se houvesse aquelas lixeirinhas de poste, tipo tem no Rio, pra pequenos volumes..

Acho que é isso..
Pra fechar esse post enorme, deixo uma imagem da beleza natural da cidade.


Beijos

7 pitacos:

eu, Lila Cassini disse...

Menina ... apesar do lixão e do cabelo ala choque... a beleza natural me encantou demais. Arri Egua!
Enfim, Adorei o resumo da opera.
Beijos... to por aqui.

Júuh . disse...

Noooooooooossa! =O haha'

Luciana Matos disse...

Uia! Vô nem comentar a beleza natural... rsrsrsrs!

Elaine Gaspareto disse...

Hihihi, que beleza, hein?
Recebeu meu email com as amostras?

Beijosss e benvinda de volta ao purgatório

Luciana Matos disse...

Redecorou o apê gata?
Tá lindo, tá ruivo! rsrsrsrs
bjo!

Zilda Santiago disse...

Vim da Elaine conhecer seu blog.Belo texto com grande finale!!!!!Vou seguir a ruiva.Bjs no coração.

Mayara disse...

haha ri até, pensando no lixo, cheiro ruim, parece que a beleza natural compensa ainda assim rsrss

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block