quarta-feira, 8 de abril de 2009

Evitando interações sociais indesejadas

Neste último final de semana, fui à faculdade fazer prova. Como já falei aqui anteriormente, as provas não são na minha cidade, então levo alguns bons minutos (quase duas horas, na verdade) para chegar lá. Daí que tem uma prova de manhã e outra a tarde. E o que se faz entre uma prova e outra??
Eu até queria aproveitar e curtir uma praia, mas como disse para uma pessoa esses dias, levo as nuvens comigo. Caso contrário, correria sério risco de desistir de fazer prova. Então, praia não é uma opção.
O que me resta fazer, então? Interagir.
Agora para e pensa: eu, um ser autista por opção, interagindo com desconhecidos que só sabem falar de prova - a que acabamos de fazer, ou a que faremos dentro de algumas horas. Consegue visualizar a cena? Pois eu não.
E como sou uma Ruiva infinita, sou precavida (o bode Japeth sabia das coisas)!! Nunca vou pra faculdade sem estar devidamente munida de um bom livro e mp3 nazoreia. E quando saio de uma prova, dou um "olá" pras pessoas - porque sou autista, mas sou educada - e vou me sentar lá no cantinho isolado, com a música e o livro.
Acredita que mesmo com o kit autismo ainda tem gente que não entende? E que resolve conversar com você sobre assuntos que você não quer saber e, ainda por cima, tentando segurar a sua mão todo o tempo???

O que fazer numa situação dessas?
Cara de barbie na caixa, certamente! Para que as mãos estejam devidamente ocupadas, agarro o livro com mais força, sorrio amarelo, pego o telefone e finjo uma ligação perdida que precisa de retorno urgente. E, no dia seguinte, procuro um cantinho ainda mais isolado para ler meu livro amigo e ouvir a trilha sonora do meu final de semana.

5 pitacos:

Cecy disse...

Ruiva, eu sou terrível com isso. Tem vezes que odeio interargir com desconhecidos.Fico com vontade de gritar "Amigo, não estou afim de falar com você!"
Geralmente agarro um livro e finjo que não escuto. Faço aquela cara de paisagem..

Ruiva disse...

É tão bom não ser a única louca no mundo....
heheheheh

Elaine disse...

Olá!
Menina, isso de gente querendo pegar em mim me tira do sério!
Em fila de banco, por exemplo, vê lá se eu quero papo? E eu também uso a técnica do livro. E do jornal...

fátima disse...

minha filha é igualzinha a vc., idêntica! só não é ruiva...

Cecy disse...

Também fico feliz em saber que não sou a única maluca com fobia a interações forçadas

 

Copyright © Histórias e Pensamentos de uma Ruiva Infinita. Template personalizado por Elaine Gaspareto Design by Volverene from Templates Block